A Comunidade Servos da Cruz nasceu do sonho de jovens seguidores dos ensinamentos deixados por São Francisco de Assis, que possuíam desejo de transformação da realidade vivida pelos indivíduos mais vulneráveis da sociedade.

Iniciamos nossos trabalhos com a “Ronda”, saíamos pela cidade nas madrugadas e íamos de encontro aos irmãos de rua, levando-lhes alimento para o corpo e para a alma. Nestas oportunidades encontrávamos muitas crianças e adolescentes dormindo nas ruas, abandonadas e recorrendo a “cola de sapateiro” para se aquecer e esquecer das dores da vida. Foi então que conversando com o Juiz da Infância nos foi confiada uma missão maior, a de acolher estes pequenos.

Ganhamos o terreno da casa de uma pessoa que escutando a conversa do nosso Fundador com um amigo, disse “eu tinha uma chácara e acabei de vender pra Deus, se o que falta é um terreno, não falta mais”. Foi assim que tudo começou… Realizamos algumas pequenas reformas na casa da chácara, a água era proveniente de cisterna e a energia elétrica não chegava no bairro, onde estávamos, o que gerava a energia para o funcionamento da Casa eram duas baterias de caminhão, sempre alternadas na carga e na geração de energia. Foram tempos difíceis, mas inesquecíveis!

Hoje o trabalho de acolhimento institucional destas crianças possui três diretrizes: 1) A garantia de uma vida digna às crianças acolhidas, proporcionando a estas um ambiente saudável, onde ela compreenda seus direitos e deveres, limites e regras, em vista de garantir um futuro melhor. 2) O fortalecimento da família para que transforme as condições de vida que levaram a retirada da criança e possa ter seu filho de volta. 3)Não sendo possível o retorno da criança para sua família, trabalhamos no encaminhamento para a adoção, com casais preparados pela Vara da Infância.

Sonhamos em oferecer um acolhimento cada vez mais digno aos nossos pequenos e por este objetivo batalhamos a cada dia, e às vezes, por falta de recursos, não conseguimos, mas quando conseguimos algo, não nos resta dúvidas que é graças aos grandes corações que encontramos pelo caminho!

É na busca da realização de pequenos sonhos que a gente caminha almejando o grande sonho de construir um mundo melhor! Hoje nossos pequenos sonhos estão representados nos planos de trabalho, que podemos executar com recursos do FIA, é por isso que os encaminhamos em anexo, eles já foram aprovados pelo Conselho Municipal de Direitos das Crianças e Adolescentes. Pedimos que você possa analisar e se considerar que são válidos e merecem ser executados, que contribua para a execução deles com a destinação do seu imposto.

Desde já agradecemos a atenção e lhe convidamos a conhecer nossas casas!

Missão

Servir a Cristo na pessoa do pobre, da criança, dos jovens e casais; através da evangelização dos serviços de assistência social acreditando que o mundo melhor é possível e contribuindo para que ele se torne uma realidade.

Voluntários

O QUE É SER VOLUNTÁRIO?

Voluntário é aquele que ama profundamente o ser humano, independentemente de credo, raça ou classe social e que, motivado pela solidariedade, compaixão e compreensão, doa seu tempo e seu talento, espontaneamente e sem remuneração, visando tão somente beneficiar o próximo e a sociedade.

O QUE É NECESSÁRIO PARA SE TORNAR UM VOLUNTÁRIO?

Três são os pilares para se tornar um voluntário: querer, boa vontade e amor.
O querer traduz-se em ação, é fruto da nossa vontade; a boa vontade é o alicerce de toda construção, é a alavanca que propulsiona os nossos destinos; e o amor é a essência da vida.

CONSAGRADOS

Adriana Caputo Ribeiro
Amanda Mirely Santos Rocha Lemos
Ana Cristina Ribeiro Chagas
Arley Paulo de Lemos
Geysa Mariana de Souza Goncalves
John Paulo Ribeiro Chagas
Joice Pereira Arantes
Lívia Mara Tavares Martins Correia
Luiz Eduardo Vieira
Luiz Gustavo Correia
Mariana Leandra Souza Vieira
Naisler Aparecido Gonçalves
Rinaldo Geraldo Rodrigues
Welbert Hipólito Lopes

DIRETORIA